Leões representam a união de Buda e Pest

Hoje vou falar de um lugar que fui não tem muito tempo e gostei muito, Budapest, na Hungria. 

A famosa cidade, visitada por milhares de turistas todo dia é mesmo muito bonita e histórica. É um lugar que quero voltar sempre que possível.

Vista da linda Budapest, na Hungria
Vista da linda Budapest, na Hungria

Eu fui para Budapest com três amigos, ficamos dois dias e meio na cidade… acho que foi um tempo bom para conhecer os principais pontos de lá, ir às águas termais e sair à noite. Não fizemos nada na correria e conseguimos ir aos lugares que tínhamos vontade. Fomos no começo de novembro e ainda não estava muito frio, mas nos meses de inverno, dizem que lá é bem gelado e até neva. 

Budapest é dividida pelo Rio Danúbio…um lado da cidade é chamado de Buda e o outro de Pest. Eram duas cidades diferentes até 1873, quando elas foram unificadas.

Cada lado da cidade tem seu encanto e características. Em Buda é onde fica o palácio, é mais residencial e tem um ar mais histórico. Em Pest estão os centros comerciais e políticos, é mais agitada, urbana e noturna. Os dois lados da cidade são ligados pelas suas famosas e muito bonitas pontes, que você pode atravessar andando mesmo, de carro ou ônibus. 

O ideal é você organizar seu tempo entre Buda e Pest, para conhecer primeiro tudo de um lado da cidade e depois do outro. Foi o que fizemos.

Vista aérea do Castle Hill
Vista aérea do Castle Hill

Em um dia conhecemos tudo que queríamos em Buda, onde todas as atrações ficam em volta do palácio, no Castle Hill. E, além do palácio, por lá você também pode visitar igrejas, museus, praças. 

Na praça central do morro, a Szentháromsag tér fica a igreja Mátyás-Templom, que é um dos sibilos católicos da cidade. 

A igreja foi construída entre os séculos 13 e 15 e é bem bonita. Ela abre todos os dias, mas a visita é paga.

Maria Madalena Church
Vista da Maria Madalena Church

Outra igreja que fica perto dali é a Maria Madalena Church, ou Kapisztrán tér. Ela tem 24 sinos que tocam toda meia hora. 

Por ali também está o Fishermen’s Bastion, um antigo mercado de peixe, que fica em um edifício com 7 torres e cada uma delas representa os fundadores de Budapest. Hoje o Fishermen é um miradouro com uma linda vista para a cidade e o rio. Para ter acesso a parte mais alta do miradouro é preciso pagar, mas a parte que é gratuita também oferece uma visão muito bonita.

Fishermen’s Bastion
Mirante no Fishermen’s Bastion

E, o famoso cartão postal de Budapest, o Royal Palace, fica no alto do morro. Ele foi construído na Idade Média e reformado em 1790 no estilo que está até hoje. Dentro do palácio você encontra diferentes exposições e mostras temporárias, o Museu da História de Budapest, a Biblioteca Nacional e o museu Magyar Nemzeti Galéria, ou National Gallery, que é a principal atração do palácio, ocupando a maior parte dele. 

A galeria tem mais de 100 mil peças, desde coleção de arte do século 10 até os dias atuais, e tem também muitas obras de famosos artistas húngaros. 

Outro museu que fica na região de Buda – mas não dentro do palácio, ali perto – é o Aquincumi Múzeun, que traz a história sobre a presença dos romanos na cidade. Não ficamos interessados nesse museu, não tínhamos taaanto tempo assim na cidade e ele paga para entrar… mas fica aqui a dica para quem curte e está com o tempo livre. 

Esse museu fica no Aquincum Szentendrei utca, que são as ruínas de um forte dos romanos, que ocuparam a região no século 2. 

Vista de Buda
Se perder pelas ruas de Buda é tudo de bom

Essas são as principais atrações de Buda… dá para conhecer tudo em um dia. Como não entramos no museu tivemos tempo de andar e nos “perder” pelas ruas ruazinhas e morros da região, o que foi bem legal e com vistas lindas da cidade. 

Nós subimos andando o morro do palácio, mas você pode ir com o bondinho que fica ali bem próximo da margem do rio e vai até atrás do palácio. Nós descemos o morro de volta para a cidade com ele, pois já estava à noite e escuro. 

Vista aérea de Buda com o lindo Danúbio
Vista aérea de Buda com o lindo Danúbio
O lindo Parlamento de Buda
O lindo Parlamento de Buda

Já no lado de Pest fica o Parliament, o parlamento húngaro, que está à beira do Rio Danúbio e também é um dos principais cartões postais de Budapest. Você consegue vê-lo de muitos pontos da cidade, principalmente se está no alto dos morros de Buda, formando uma linda imagem da região, com o Rio Danúbio, o parlamento e toda a arquitetura da cidade. 

O parlamento foi construído entre 1884 e 1902 e é um dos maiores parlamentos do mundo, com 96 metros de altura e 691 salas. Você pode visita-lo por dentro, mas a entrada é paga e os tours são guiados. 

Arquitetura de Buda
Arquitetura deixa a cidade ainda mais espetacular
Capela da Sagrada Mão Direita guarda a mão de São Estevão
Capela da Sagrada Mão Direita guarda a mão de São Estevão

Em Pest também está a Basílica Szent István, ou São Estevão, que é a maior igreja da cidade, com 4 mil metros quadrados e um domo com 96 metros de altura. A basílica foi construída entre 1851 e 1905 e lá está o resto mortais da mão de São Estevão, dentro de uma caixa que fica na Capela da Sagrada Mão Direita

Não paga nada para entrar na igreja, eles só pedem que você faça uma doação de 1 euros, se quiser. Mas, para subir em uma de suas torres (é possível fazer a visitação de somente uma torre) você tem que pagar. É importante falar que durante o inverno (entre novembro e março) a torre fica fechada e não é possível subir lá. 

E Budapest também tem o seu parque, o City Park. Ele é um parque bem grande onde você encontra o Zoo da cidade, uma casa de banhos termais, um castelo, um lago, a Hesök tere – ou Heroes’ Square -, o Milenary Monument, o Monument of National Heroes e o Museum of Fine Arts.

Hesök tere
Hesök tere tem muitas opções de visita e passeio

A Hesök tere é um praça que fica dentro do parque, onde estão o Monument of National Heroes e o Milenary Monument. A praça e seus monumentos são bem bonitos. 

E, perto da praça está também o Museum of Fine Arts, que traz uma coleção de obras de famosos nomes na arte europeia, como El Greco e Goya. 

Outro museu importante em Pest, que conta com obras de famosos artistas como Picasso e Warhol é o Ludwig Múzeum. Um casal de colecionadores – Ludwig e Aechen – doaram as obras para montar esse museu de arte contemporânea. A entrada é paga, mas é legal para quem gosta. 

A cidade também tem sua casa de ópera, a Magyar Allami Operaház. Lá você pode assistir espetáculos de dança e shows, além das óperas. O prédio é bem bonito, com uma arquitetura neorrenascentista de 1884 e decorado com afrescos de artistas nacionais. 

Em Budapest fica ainda a maior sinagoga da Europa, Dohány utcai Zsinagóga. Ela foi construída em 1859 e é muito bonita. Dentro da sinagoga você pode visitar também o museu judaico, Zsidó Múzeun, que traz a história sobre o povo judeu no país e sobre o holocausto. 

É preciso pagar para entrar na Sinagoga e no museu…você pode comprar tickets que dá direito a visitar cada um deles, separadamente (somente o qual te interessar mais), ou o combo que permite a entrada nos dois lugares. 

Outro lugar para ir ao lado de Pest é o Terror Háza, o Museu do Terror, queéum memorial às vítimas do nazismo e do comunismo. Ele fica no prédio que sediou os nazistas durante a ocupação da Alemanha na Hungria. Lá você vê uma exposição com imagens e sons que lembram esse período triste da história. A entrada do museu é paga. 

Rio Danúbio divide Buda e Pest
Rio Danúbio divide Buda e Pest

Como falei o Rio Danúbio corta a cidade no meio e a divide entre Buda e Pest. É bem legal fazer um passeio pela margem do rio, sentar-se por ali um pouco e observar a linda vista…  do lado de Buda e do lado de Pest. Você pode também fazer um tour de barco por ele…eu não fiz, mas acho que deve ser bem legal. 

Em um ponto na margem do rio você vai encontrar o Monumento dos Sapatos, que são 60 sapatinhos de bronze e representa o massacre aos judeus na época da segunda guerra. Os judeus eram levados para a beira do rio, onde eram obrigados a tirarem os sapatos e, então, eles eram baleados e caiam no rio.

Monumento dos Sapatos
Monumento dos Sapatos lembra holocausto e homenageia judeus mortos

Como também já comentei, lindas pontes unem um lado a outro da cidade. Uma das mais famosas é a Ponte Széchenyi, ou Chain Bridge, que foi a primeira ponte a ligar Buda e Pest, construída em 1849. 

Você vai ver alguns leões esculpidos na ponte… eles foram feitos em 1850 e representam a união de Buda e de Pest. 

A Ponte Széchenyi, ou Chain Bridge, primeira ponte que conectou Buda a Pest
A Ponte Széchenyi, ou Chain Bridge, primeira ponte que conectou Buda a Pest
Leões representam a união de Buda e Pest
Leões representam a união de Buda e Pest

Outas pontes famosas e muito bonitas são a Ponte da Liberdade, a Ponte Elizabeth e a Ponte Margarida.

Como eu amo mercadões é claro que fomos ao de Budapest, o Grand Market Hall. Aberto desde 1897, é um tradicional mercadão da cidade, com barracas de frutas, comidas típicas e souvenires. Almoçamos por lá e estava uma delícia a comida. 

Parada para o almoço no Grand Market Hall
Parada para o almoço no Grand Market Hall

Um lugar que queríamos muito ter ido, mas acabamos nos perdendo e ficou tarde para visitar é a Cidadella, que é uma fortificação no alto da colina Gellért, onde tem uma espécie de estatua da liberdade e uma linda vista de Budaspest. É meio longe do cento da cidade… é preciso pegar um ônibus até o pé da colina e despois subir até a fortaleza. Dizem que é uma boaaa subida, mas que vale o exercício.

Como não conseguimos chegar lá, demos um jeito de ver o lugar mais de perto e conseguimos contemplar a incrível vista da região também. Meu irmão é fotógrafo e tem um drone, então acabamos “indo” até Cidadella “voando” com o drone dele, hahaha. É realmente muito bonito.  

Vista da lindíssima Cidadella
Vista da lindíssima Cidadella

Outro parque muito legal para visitar é o Momento Park, ou Statue Park. Nele ficam estátuas, em tamanhos reais, de líderes comunistas e revolucionários em poses clássicas. Essas estátuas estavam em diferentes lugares da cidade durante o regime soviético, mas foram removidas e levadas para o parque com a queda do comunismo. Para entrar no parque tem que pagar. 

Mas, esse parque é bem afastado do cento e não da para chegar lá andando, tem que pegar um ônibus especial que vai até ele, ou ir de transporte público mesmo (mas, demora mais). Esse ônibus especial sai todo dia da praça Deák tér, as 11 horas da manhã. Falam que é um lugar muito legal para visitar, mas como é mais longe decidimos não ir, mas é um lugar que ficou para a “lista do que fazer” na próxima vez que for para lá.   

Vista aérea de uma das termas da cidade
Vista aérea de uma das termas da cidade

Quando se fala de Budapest não da para não lembrar dos famosos banhos de águas termais. Eles estão por toda a cidade e é uma tradução de mais de 2 mil anos. 

As piscinas dessas termas tem água entre 30 e 40 graus de temperatura e, dizem que, em alguns deles a água pode ser ingerida e é um ótimo tratamento se você tiver problemas renais ou de metabolismos. 

Algumas termas tem piscina ao céu aberto que ficam cheias até no inverno. E também tem termas que você entra nas águas pelado mesmo, mas aí tem salas separadas para homens e mulheres. 

Uma das termas mais conhecidas é a Gallét Gyógyfürdo, que foi aberta em 1918 e fica em um prédio lindo, no estilo Art Nouveau. Nele você pode ir a piscinas mistas ou separadas por sexo, que você pode entrar pelado. Outras termas famosas são o Ruda Gyógyfürdö és Uszoda e o Széchenyi, com piscinas mistas e separadas por sexo também.  

Tempo para aproveitar a terma de Széchenyi
Tempo para aproveitar a terma de Széchenyi

Eu fui ao Széchenyi e achei bem legal. Acho que vale muito a pena ir e passar uma tarde lá. Estava bem frio quando fomos, mas as águas são bem quentes, e mesmo nas piscinas externas, quando está dentro da água, você não fica com frio. 

Essas termas têm duas piscinas externas bem grandes, muitas piscinas internas, saunas, locker para guardar as coisas. Achei muito bom. 

Os pubs ruínas também são muito famosos em Budapest e acho que um dos mais conhecidos é o SzimplaKert. Eu fui nele e é mesmo muito legal, com uma decoração incrível, “bagunçada, mas estilosa”. Esses “ruin pubs” ficam em velhos edifícios, que estavam praticamente em ruínas, e foram transformados em bares, ganhando fama na cidade nos últimos tempos.

Uma última olhada em Budapest... com certeza retornaremos em breve...
Uma última olhada em Budapest… com certeza retornaremos em breve…

Essas são minhas dicas de Budapest, uma cidade que gostei muito e super quero voltar.

Vale falar que é uma cidade bem barata. O dinheiro deles é o Florim Húngaro. 72 florins valem mais ou menos 1 real e 1 euro são 331 florins.

E hoje também tenho que falar um pouco sobre minha vida, agradecer vocês leitores e dar um até logo… Vou me ausentar do blog por um período por causa do College… esse ano já foi com muitas provas e trabalhos e ano que vem vai ser pior. Como eu não quero e não acho certo trazer aqui textos que não pude dar a atenção que eu gosto e passar bastante informação legal, achei melhor pedir para me afastar o próximo ano hahaha mas, se tudo der certo, eu volto logo. Então muito obrigada a todos que leram e gostaram dos textos e, qualquer dúvida que vocês tiverem sobre os lugares das postagens antigas, é só mandar que eu respondo aqui. 

Texto by Flávia Pigozzi

Fotos by Paulo Henrique Pigozzi https://www.instagram.com/100.crise/

Acompanhe outras dicas e informações em nosso canal no facebook. Curta #viveajantes. Ou no Twitter, siga @viveajantes. Veja nossa galeria de fotos no Flickr, inscreva-se em nosso novo canal de vídeos no Youtube. Entre em contato, mande suas críticas, sugestões, contribuições via e-mail: viveajantes@bol.com.br  . E não perca nossas postagens. Novo conteúdo todas as semanas.

Veja nossa galeria:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *