Mês passado consegui pegar uns dias de folga para visitar uma amiga e fazer uma viagenzinha maior… fui para Toulouse, na França.

Depois de ficar muito tempo trabalhando igual louca e sem tirar uns dias para mim e sair um pouco do país, conseguir fazer isso. Aproveitei que queria ver essa amiga e fui conhecer a cidade para onde ela acabou de se mudar.

Toulouse fica no sudoeste da França, a cerca de 700 km de Paris. A cidade, que é a quarta maior do país, mas com um ar de interior, tem aproximadamente 466 mil habitantes, é universitária e conhecida como La Ville Rose – A Cidade Rosa. Toulouse ficou conhecida assim, pois quase toda a cidade tem telhados ocre e muito de sua arquitetura conta com tijolos avermelhados, dando uma cor rosada a cidade.

Para chegar lá, saindo de Dublin, você pode pegar um voo direto, por que Toulouse tem aeroporto, ou ir para Paris ou Barcelona e seguir até lá de trem ou ônibus.

A cidade é uma graça!!! Com carinha de interior e com o chame da França. Passei dias ótimos lá com minha amiga. O que foi mais legal é que, como ela mora na França há algum tempo, ela me mostrou a cidade de um jeito não tão turístico.

Além dos lugares que visitamos, comemos em restaurantes menos turísticos também… sem falar, das vezes que ela e o namorado – francês – cozinharam para mim comidas típicas da região.

Para conhecer Toulouse bem e com calma, eu indico ficar uns três dias… ou até 4 se você quiser fazerem bate e volta para as cidadezinhas da região. Eu fiquei três dias por lá. Deu para conhecer tudo que eu queria e curtir muito minha amiga.

Na cidade, no primeiro dia, eu conheci o Jardin des plantes, que é um parque no centro de Toulouse muito bonitinho. Ótimo para curtir nos dias de verão. De lá fomos para a Igreja de Saint Etienne, a catedral da cidade. Muito bonita.

Depois de conhecer a Saint Etienne, fomos para a Praça do Capitólio, que é a principal praça na cidade, onde têm cafés, restaurantes, lojas e onde é montada exibições e feiras itinerantes. Na praça fica o Capitole, a prefeitura da cidade. Você pode visita-la por dentro e ver algumas de suas salas… lindas, com quadros e espelhos.

Ali no centro também fica outra igreja muito importante da cidade, a Basílica de Saint-Sernin. Ela é também é bonita.

Segundo falam, em 250, época que o cristianismo ainda não estava muito estabelecido, São Saturnino era o bispo de Toulouse. Em uma festa pagã que aconteceu na cidade, pediram para o bispo se curvar diante de um dos deuses e ele se recusou, por ser cristão. Para punir São Saturnino, o amarraram no pé de um touro, que correu com seu corpo até o local que a basílica foi construída séculos depois.

Nesse dia ainda passamos pelo Museu de História Natural e Museu dos Augustinos. Não estávamos afim de entrar em museu, então só passamos na frente mesmo… na verdade, sem planejar. Os dois museus ficam no centro e para ir de um lugar para o outro na cidade acabamos passando por eles.

É legal lembrar que o primeiro, o Museu de História Natural é o segundo mais importante da França, ficando atrás do de Paris. É um ótimo programa para fazer com crianças. E o segundo (Museu dos Augustinos), é o museu de belas artes da cidade, onde tem muitos quadros e esculturas. Esse museu fica no antigo convento de Toulouse

Continuando na caminhada e passeio pelo centro da cidade, passamos pela ponte Pont Neuf, a mais famosa de Toulouse, pois é a mais antiga ponte da cidade. A Pont Neuf corta o Rio Garonne, um dos maiores da região.

A ponte oferece uma linda vista da cidade, do rio e da roda gigante que é montada no verão, e compõe uma imagem ainda mais bonita do lugar.

Vocês consegue conhecer todos esses principais pontos turísticos de Toulouse caminhado. Não precisa pegar transporte público. Nesse primeiro dia de passeio – na verdade, em todos os dias pela cidade – fizemos tudo com calma, sem presa. Acordamos mais tarde, almoçamos tranquilamente, entramos em lojas. A cidade não é grande…é possível conhecer seus principais pontos e curtir tudo sem correria.

No segundo dia por Toulouse, fomos para Albi, uma cidade vizinha, há mais ou menos 80 kg de Toulouse. Mas, sobre Albi vou contar no próximo post. Hahaha…

No terceiro e último dia por lá, reservamos para almoçar no famoso Mercado Victor Hugo, típico mercado fechado da França… com barracas de queijos, linguiças, frutas da região, etc e bons restaurantes.

O mercado fica aberto de terça-feira a domingo, das 7 as 13h30, mas a nossa surpresa foi que, dois dias antes de eu chegar à cidade, ele tinha sido fechado para obras. Esse é um lugar que quero muito ir quando voltar para lá.

Não conseguimos almoçar no mercado, mas acabamos descobrindo por um acaso uma pâtisserie que é uma delícia, a L’Autre Salon de Thé.  Comemos um brunch muito bem servido, que não sobrou espaço nem para a sobremesa. E não gostei disso, por que eles servem tortas… umas mais bonitas que a outra.

Nesse dia acordamos um pouco mais tarde e não tivemos tempo para fazer muito turismo, por que fomos almoçar e eu tinha que pegar meu voo.

Acredito que visitei a maioria dos lugares que queria conhecer em Toulouse. Mas faltou alguns pontos que quero ir quando voltar à cidade. Entre eles estão o Convento dos Jacobinos, que é um convento dominicano. Na idade média, Toulouse foi um centro de peregrinação importante (o maior depois de Santiago de Compostela), e muitas ordens religiosas, como os dominicanos, se instalaram na cidade nessa época.

Também quero visitar o Museu Aéroscopia. Como em Toulouse fica a fabrica da Airbus, você pode visita-la e ver como é o processo de fabricação dos aviões. E junto da fabrica fica esse museu, que traz vários modelos de aviões para você ver de perto.

Outro lugar que acredito que seja legal ir é a Cidade do espaço, um parque temático que traz a história da conquista espacial, como a missão Sputnik. Lá você encontra programas audiovisuais; o simulador anti-gravidade; a nave espacial Soyuz, que você pode entrar; o foguete tamanho real Ariane 5.

(*)

E ainda quero muito ir à Casa de Queijos Xavier, uma famosa casa de queijo da cidade. Por mais que eu tenho comido queijos franceses maravilhosos por lá, fiquei com vontade de ir nessa casa de queijos, que todo mundo fala que é muito boa.

E quero ainda falar ainda sobre a cor pastel, que você encontra por toda Toulouse.

A cor pastel, que e aquele azul bem clarinho, é “feita” por meio de uma flor que começou a ser cultivada no sudoeste francês na época do renascimento. A Flor é amarela, mas quando ela é tratada solta a cor azul pastel. Na época do renascimento as pessoas fizeram fortunas vendendo essa flor.

Em Toulouse tem lojas que só vendem coisas cor pastel, como sabonete, lenços, cremes…. os mais diferentes produtos, nessa cor. E também muitas casas dessa região da França são decoradas com a cor pastel.

Minha amiga me falou esse frase sobre a cor, que é famozinha por lá… ”Bleu comme la couleur du ciel, bleu comme la couleur du pastel”, que significa “Azul como a cor do céu. Azul como a cor do pastel”.

Bom, foi isso que fiz nos meus três dias em Toulouse. A cidade é uma graça. É um lugar que quero voltar, não só para ver minha amiga, mas por que gostei mesmo.

No próximo texto conto como foi meu dia em Albi, ali no lado de Toulouse. Uma cidade bem bonitinha também, pequena e com cara de cidade de interior.

Texto e fotos by Flávia Pigozzi.

(*) Foto do site oficial da Casa de Queijos Xavier: https://xavier.fr/

Acompanhe outras dicas e informações em nosso canal no facebook. Curta #viveajantes. Ou no Twitter, siga @viveajantes. Veja nossa galeria de fotos no Flickr, inscreva-se em nosso novo canal de vídeos no Youtube. Entre em contato, mande suas críticas, sugestões, contribuições via e-mail: viveajantes@bol.com.br  . E não perca nossas postagens. Novo conteúdo todas as semanas.

Veja nossa galeria:

O que você achou dessa postagem?
  • As dicas são fantásticas (0)
  • Incrível (0)
  • Deu muita vontade de viajar (0)
  • Sensacional (0)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *