1

Olá companheiros viveajantes… hoje iremos nos aventurar na região de Eldorado e visitar o seu maior ponto turístico, a Caverna do Diabo… portanto, fica aqui o convite, permaneça conosco pois garantimos beleza e emoção num passeio ímpar.

2

Nossa viagem começa em São Paulo, mais precisamente na Rodovia Régis Bittencourt (BR 116) por onde percorreremos 239 km (cerca de 3:30 hs) até a cidade de Jacupiranga, já no Vale do Ribeira. Em Jacupiranga saímos da BR-116 e seguimos pela SP-193 até Eldorado por 18 km (15 minutos)… ao entrar na cidade deve-se prestar atenção às placas que indicam “Caverna do Diabo” e segui-las até encontrar a SP-165 por onde percorreremos mais 43 km (45 minutos) até o nosso destino, o Parque Estadual Caverna do Diabo.

A viagem, de uma maneira geral, é tranquila… apenas o famoso trecho da BR-116 na Serra do Cafezal é que causa um pouco de transtorno devido às obras de duplicação da rodovia, onde o trânsito dá uma emperrada… no restante, o percurso é bem light.

DSC00603

DSC00606

DSC00608

DSC00612

A infraestrutura do Parque Estadual Caverna do Diabo é excelente, a começar da estrada de acesso, desde a rodovia principal até a entrada do estacionamento que, além de muito bonita, é muito bem conservada.

O complexo conta com um amplo estacionamento, restaurante e um centro de visitantes com informações e imagens gerais sobre o parque… tudo muito organizado…

DSC00609

DSC00614

O ideal é chegar e logo procurar a bilheteria (logo acima do restaurante) e adquirir os ingressos – R$ 23,00 (tarifa parque: R$ 12,00 + tarifa monitoria: R$ 11,00) – pois os grupos monitorados partem de 40 em 40 minutos, aproximadamente.

Os grupos com guia partem da bilheteria por um caminho muito bem sinalizado e que desce até a entrada da caverna… tudo envolto por uma exuberante mata atlântica.

DSC00613

DSC00616

DSC00619

DSC00620

“O Parque Estadual Caverna do Diabo foi criado em fevereiro de 2008 e integra o Mosaico de Unidades de Conservação do Jacupiranga, juntamente com outras 13 Unidades de Conservação. Possui uma área superior a 40 mil hectares e abrange os municípios de Barra do Turvo, Cajati, Eldorado e Iporanga.

Localizado ao Sul do estado de São Paulo, na região do Vale do Ribeira, o Parque Estadual Caverna do Diabo possui um rico ecossistema, que atrai visitantes do mundo inteiro.

Criado com o objetivo de preservar o bioma Mata Atlântica, um dos biomas mais ameaçados do mundo, o parque tem como seu principal atrativo a Caverna do Diabo, ou Gruta Tapagem. O atrativo é uma caverna com mais de 6.000 metros de extensão, sendo aberta a visitação somente 600 metros.”

DSC00625

DSC00762

A entrada da caverna já é algo espetacular… você desce a escadaria já com pouca luz natural e se depara com um imenso salão com paredes de calcário que se assemelham a uma imensa catedral… e com um fundo “musical” proporcionado pelas águas de um córrego que corre caverna adentro… é de uma beleza impressionante.

DSC00632

DSC00637

DSC00642

DSC00643

A Caverna do Diabo possui uma infraestrutura muito boa e que proporciona ao turista muita segurança, pois conta com rota demarcada e percurso suavizado por escadarias e pontes, além de contar com um sistema de iluminação bem equilibrado permitindo ao visitante uma boa visualização das belas formações rochosas do interior da caverna. Além de tudo isso, também podemos contar com informações históricas e geológicas fornecidas por guias bem treinados, o que torna o passeio ainda mais interessante.

DSC00648

DSC00654

DSC00661

DSC00670

“Oficialmente descoberta por Richard Krone em 1891, a Caverna do Diabo já foi conhecida pelos moradores dos antigos quilombos da região, que usavam a área fresca logo na entrada da caverna para guardar e preservar a colheita. Frequentemente, entretanto, encontraram os seus estoques remexidos ou espalhados fora da caverna e interpretaram esse resultado das ações dos animais da floresta como o trabalho do diabo. A lenda ganhou força porque os moradores ouviram os sons da água vindo do interior da caverna e acharam que eram vozes de pessoas conversando. Essas pessoas perdidas também remetiam ao diabo.”

DSC00702

DSC00731

DSC00746

DSC00754

A visita tem a duração de aproximadamente uma hora, contando com várias paradas para as exposições dos guias sobre a origem e formação da caverna. Além dos inúmeros cliques, vale muito a pena ficar atento às palavras dos guias para entender melhor como surgiu essa dádiva da natureza… muito legal!!!

Apesar de ser sua principal atração, o parque não conta apenas com a caverna mas também com diversas trilhas pela mata que levam a mirantes e cachoeiras… eu escolhi percorrer a do Araçá, que leva à cachoeira de mesmo nome.

DSC00781

DSC00784

DSC00786

DSC00797

A trilha pode ser considerada de dificuldade grau leve, ou seja, indicada para qualquer pessoa sem deficiência física… além do fácil acesso, é muito bem sinalizada e dispõe de totens explicativos/educativos… garanto que você irá se encantar com a exuberância da Mata Atlântica, predominante no local.

DSC00807

DSC00821

DSC00805

DSC00808

Terminadas as andanças o ideal é dar uma paradinha no Centro de Visitantes do parque, que fica ao lado do restaurante. Vale a pena conhecer o local, que conta com diversos painéis com informações diversas sobre as atrações do parque e também muitas curiosidades sobre esses locais… é bom para descansar e ao mesmo tempo se informar…

DSC00827

DSC00828

E para almoçar sugiro o próprio restaurante do parque, onde é servida uma comida simples mas saborosa e a um preço bem acessível.

Principais Atrativos do Parque:

Caverna do Diabo

Distância: 600m

Caminhada: 1h

Dificuldade: Fácil

Horário: Entrada até as 17h com permanência no núcleo até as 18h.

Rica em espeleotemas, estalactites, estalagmites, travertinos, entre outros, a caverna atrai turistas do mundo inteiro devido à sua imponência. Principal atrativo do parque, dando à ele o seu nome, possui uma extensão aproximada de 6340 m, porém, cerca de apenas 600m são abertos à visitação turística.

Trilha da Cachoeira do Araçá

Distância: 815 m

Caminhada: 1h

Dificuldade: Fácil

Horário: Última visitação até as 16h30 com permanência no núcleo até as 18h.

A trilha segue margeando o Rio da Tapagem até chegar à cachoeira. O local da queda d’agua forma em sua base uma piscina natural

Mirante do Governador

Distância: 1600 m

Caminhada: 2h30

Dificuldade: Médio

Horário: Última visitação até as 15h com permanência no núcleo até as 18h.

O percurso pela Mata Atlântica cruza áreas de floresta de campos de altitude. A trilha termina no Mirante onde é possível ver o Rio Ribeira de Iguape.

Informações ao Usuário

Município da sede

Eldorado/SP

Telefones

(13) 3871-1242 (Sede) (13) 3871-0259 (Núcleo)

E-mail do parque

pe.cavernadiabo@fflorestal.sp.gov.br

Tipo de acesso

Asfalto

Distancia da Capital

Sede – 247 km Núcleo – 292 km

Distância das cidades mais próximas

Iporanga – 35 km

Jacupiranga – 69 km

Cajati – 95 km

Cobrança de Ingresso e Valor

Valor geral: R$ 23,00 (Tarifa Parque: R$ 12,00 + Tarifa Monitoria: R$ 11,00)

Sugestão de Hospedagem:

Para quem pretende visitar a região e, principalmente, a Caverna do Diabo, sugiro aos visitantes que se hospedem na Pousada Ecológica Recanto da Águas que está localizada na Estrada Eldorado/Sete Barras Km 03 Bairro Bananal Pequeno, na cidade de Eldorado-SP.

A pousada fica à beira da estrada e do rio Ribeira de Iguape, numa área enorme (cerca de 242 mil m²) em meio à mata atlântica e muito bem aproveitada… um ótimo lugar para descansar e se livrar, ao menos por um tempo, da estressante vida da metrópole.

DSC00845

DSC00875

A Pousada Ecológica Recanto das Águas está distante cerca de 5 km do centro de Eldorado e aproximadamente 48 km do Parque Estadual Caverna do Diabo.

Apesar da distância do parque, sem dúvida a maior atração da região, eu indico a pousada primeiro por sua estrutura e beleza, não só das instalações mas principalmente da região onde está localizada… a cidade de Eldorado não dispõe de uma rede hoteleira muito extensa e os hotéis do centro (antigos e pequenos) não tem como competir em termos de estrutura com a Recanto das Águas.

3

Como a pousada dispõe de uma área muito grande, as acomodações ficam em chalés de madeira muito bonitos e bem equipados… eu escolhi um dos que estão próximos à rodovia e num plano mais alto, resultando numa vista fantástica do rio Ribeira e dos bananais à sua volta… destaque para o pôr-do-sol que visto da varanda é fantástico!!!

DSC00838

DSC00861

DSC01001

Todos os chalés possuem ar condicionado (indispensável, principalmente no verão), são bastante espaçosos e limpos.

O quarto é bem arejado e claro, com uma cama de casal confortável e ainda dispõe de uma beliche, ou seja, é uma acomodação muito boa para até quatro pessoas. O banheiro é bom e conta com água quente abundante, coisa que muitos hotéis não fornecem com qualidade.

DSC00851

DSC00853

DSC00856

DSC00859

Como lazer, a pousada conta com uma boa piscina (grande e bem localizada), e um lago com pedalinhos, ambos rodeados por belos espécimes de mata atlântica, e com várias mesas e bancos de madeira ao seu redor… uma ótima área para meditar e exercitar a preguiça…

DSC00902

DSC00910

O restaurante é grande e com ótimas instalações (estilo country), e onde também é servido o café da manhã, bem farto e com opções variadas… não posso opinar quanto às refeições (almoço/jantar) pois não as fiz ali… afinal dois dias passam rápido demais e você fica a maior parte do tempo fora e conhecendo a região, mas para umas cervejas bem geladas eu indico a mesa mais próxima ao córrego que corre ao lado e conta com uma pequena ducha artificial com água bem fria… ótimo para se refrescar nos dias quentes, e sem contar que contribui ainda mais com a beleza do lugar…

DSC00881

DSC00896

DSC00887

DSC00880

Se você seguir para os “fundos” da pousada, subir uma ladeira logo após os últimos chalés, existe uma trilha que adentra a mata… ela é bem sinalizada e para quem gosta de se aventurar pela floresta é um prato cheio… você encontrará diversas espécies de plantas e com sorte algum habitante do local, como macacos ou esquilos… é um passeio bem interessante.

DSC00917

DSC00924

Na minha passagem detectei dois problemas que devem ser resolvidos o mais rápido possível porque influem diretamente na avaliação dos hóspedes, que são a falta de um frigobar nos quartos, o que é importantíssimo devido o restaurante não funcionar à noite, e a rede wi-fi não alcançar os chalés (disponível somente na sede)… para aqueles que não vivem sem internet é um problema bem sério, mas que não afetou muito minha avaliação porque estava lá realmente para curtir a natureza, e quanto a isso a pousada é dez.

Um grande diferencial foi a hospitalidade… os sócios foram muito solícitos e na medida do possível sempre tive minhas solicitações atendidas prontamente… eles me explicaram que a administração é recente e estão, pouco a pouco, tentando investir em benfeitorias na pousada, e isso eu considero um ponto muito positivo… é claro que existem deficiências, mas estão sendo superadas e não chegam a ser algo que manche a imagem do empreendimento.

DSC00998

Amigos viveajantes… com essa bela imagem do pôr-do-sol no Ribeira de Iguape eu me despeço de Eldorado e espero que o post tenha sido útil a quem vai, planeja ou ficou interessado em visitar a região… um grande abraço a todos e até a próxima viagem…

Links interessantes:

www.google.com.br/maps

http://www.cavernadodiabo.com.br

http://www.petaronline.com.br

http://www.ambiente.sp.gov.br

http://www.turismoemsaopaulo.com

Texto e fotos by Julio Araujo.

Acompanhe outras dicas e informações em nosso canal no facebook. Curta #viveajantes. Veja nossa galeria de fotos no Flickr, inscreva-se em nosso novo canal de vídeos no Youtube. Entre em contato, mande suas críticas, sugestões, contribuições via e-mail: viveajantes@bol.com.br  . E não perca nossas postagens. Novo conteúdo todas as semanas.

Veja nossa galeria:

O que você achou dessa postagem?
  • Sensacional (0)
  • Deu muita vontade de viajar (0)
  • Incrível (0)
  • As dicas são fantásticas (0)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *