Viveajantes

Tudo por um bom hotel

Hoje eu trago para o blog um texto um pouco diferente dos anteriores. Desta vez, mais do que informar e dar dicas de viagens e roteiros, gostaria de provocar um diálogo com os nossos leitores. As pessoas viajam por muitas razões. Quer seja para realizarem um sonho, quer seja porque gostam demais de praias, gostam de conhecer novas culturas, ou mesmo por questões profissionais, mas independente do destino escolhido, e os mais diferenciados detalhes que podem ter influenciado essa escolha, até que ponto a escolha da hospedagem pode ser determinante para o “sucesso” de sua viagem?

5 stars

Atualmente existem inúmeras ferramentas que permitem que usuários de hotéis, pousadas, hostels, e outras tantas formas de hospedagem avaliem suas experiências, e gastar um tempo na leitura dessas avaliações pode nos trazer percepções interessantes e determinar o rumo da nossa viagem.

Acredito que as ferramentas mais utilizadas nessas avaliações sejam os sites TripAdvisor, Booking.com e Hotéis.com. Claro, são somente as mais conhecidas, mas hoje, até mesmo as redes sociais são comuns na disseminação de opiniões muito diversas.

image17

Tenho uma opinião, muito particular, a respeito de uma hospedagem agradável. Como meu destino é,  geralmente, muito mais importante, considero que uma boa cama e um bom chuveiro sejam suficientes para proporcionar o que eu espero de uma boa estada.

Mas não é o que vejo nas opiniões de muitas pessoas. Leio comentários reclamando de manchas no carpete, de poucas opções no café da manhã, de poucas toalhas, péssima localização, qualidade no atendimento e serviço, e tantos outros pontos, mas para alguns deles, confesso, costumo encarar de maneira muito mais circunstancial.

Óbvio que não quero dizer que a limpeza e a higiene sejam insignificantes, ou que a qualidade do serviço e a localização não sejam igualmente importantes, mas será que uma mancha no carpete pode influenciar negativamente em sua opinião quanto a toda a viagem? Para algumas pessoas, parece que sim.

Quatro anos atrás, enquanto planejava uma viagem pela Itália para as férias, acabei caindo na “armadilha” da opinião compartilhada. Ao receber a indicação do hotel em Roma, fui pesquisar o que diziam dele, e em quase metade dos comentários, a localização era excelente, mas o “jeitão” antigo do hotel, com seus atendentes pouco educados, seriam capazes de tornar a viagem em um grande desastre. A viagem, no final, nem deu certo, mas a imagem negativa do hotel ficou.

hotel-room-600x396

Ano passado, nova experiência. Viagem para Orlando fechada, e o hotel contratado decide realizar uma grande reforma. O próprio hotel redireciona todos os hóspedes para outros hotéis de mesma categoria. Quando descobrimos a mudança, decidimos pesquisar o novo hotel, e vimos que várias pessoas informavam que o serviço de limpeza dos quartos deixava bastante a desejar, e que eram costumeiros os furtos. Pânico geral!!! Tentamos entrar em contato com o hotel, para pedir uma reacomodação, mas por fim decidimos enfrentar o mal falado destino. Resultado: tivemos uma estada fantástica. Serviço de primeira, com funcionários educados, quarto sempre limpinho e aconchegante, com tudo aquilo que precisaríamos e um pouco mais. No fim, nossas preocupações só serviram para estressar, e quase acabaram mal com as nossas férias.

Alguns anos atrás também tive uma experiência curiosa na Argentina. Em Buenos Aires existe uma região mais central, onde ficam muitos dos hotéis, que parece bastante com a 25 de março, aqui de São Paulo. Movimentada pra caramba, cheia de comércios, trânsito pesado, e até o carro da pamonha passando de tempos em tempos. Logo na chegada, percebemos que o atendimento não era muito amistoso. O elevador era daquelas gaiolinhas que você é responsável por quase tudo, e o quarto, com um aspecto bem anos 1970, com móveis antigos, e até uma sala que mais parecia uma recepção de dentista. Apesar da impressão estranha, atendeu bem as expectativas, e acabou coroando com uma cereja a passagem pela capital portenha.

Modern Blossom Shower Curtain Designs Contemporary Bathroom Interior

E quem nunca sofreu com a bendita cortininha de banheiro, muito comum em hotéis fora do Brasil? Imagina pra alguém com quase 1 e 90 m de altura, e 100 kg, entrar numa banheirinha com 1 metro de comprimento, por 50 centímetros de largura, com um chuveiro que bate na altura do pescoço, e a cortina plástica colando o tempo todo colada no traseiro. Você encontrará essas belezinhas na Argentina, no Chile, nos Estados Unidos, e até em alguns lugares da Europa. E elas sempre adoram estar coladas em sua bunda. Chato? Talvez. Mas não a ponto de estragar minha viagem.

422

O café da manhã é outro ponto importante. Muitas vezes estamos acostumados com um pingado (café com leite) e um pão com manteiga na chapa todos os dias, mas se o hotel não oferece 18 tipos de pão, 25 bolos variados, leite de vaca, de cabra e de búfala, sucos de todas as frutas da estação, então o hotel não presta. Em Puerto Montt encontrei o que considero até hoje o melhor café da manhã que já vi em um hotel. Eram duas estações com sucos, variados pães, bolos e pães doces, leite com variados tipos de café, frutas, e mais uma infinidade de guloseimas. No entanto, os guias sempre nos orientavam a comer pouco uma vez que os passeios podiam causar enjoo. Mesmo com tantas opções, o farto café da manhã não foi muito aproveitado. Em Gramado a experiência foi completamente oposta. Talvez esperássemos que um destino mais gastronômico oferecesse farturas variadas em seu café da manhã, porém o que vivenciamos foi o contrário. Suco de laranja, café com leite e um pão com margarina e queijo. Mesmo assim, suficiente para dar um ânimo para o restante do dia.

Localização talvez seja um dos pontos mais delicados. Não adianta estar em um hotel fora de série, se você não consegue chegar a nenhum outro lugar da cidade ou local visitado. Mas nesse ponto, hoje, o Google costuma ser uma ferramenta fantástica para saber onde você está se enfiando.

Óbvio que existem hostels (albergues) maravilhosos mundo afora. Nas regiões Norte e Nordeste do Brasil você consegue opções pé na areia, com quartos individuais e, se der sorte, até com banheiro individual. Os resorts servem para aqueles que buscam as opções de serviços oferecidos pelo próprio hotel, que funcionará como um tipo de spa, e ainda temos algumas formas de hospedagem menos estilosas, como o “bed & breakfast”, mais comum na Europa, em que você fica na casa de habitantes locais, praticamente dormindo no sofá deles, em um tipo de hospedagem mais econômica, mas igualmente aconchegante.

Enfim, eu ainda acho que para quase todas as situações existe uma chance de correção, e que no final, o que vale mesmo é o destino como um todo, e não somente aquela mancha estranha no carpete do hotel. Os exemplos são muitos, e as situações assustadoras, ou não, podem ser as mais variadas possíveis, mas então, quando você pensa em viajar, em quanto que a escolha da hospedagem pode ser decisiva no final, e quanto ela influenciaria, de maneira positiva ou não, a sua satisfação?

Não deixe de nos enviar o seu comentário e a sua opinião. E não deixe de acompanhar as próximas postagens, com mais dicas e informações a respeito de viagens e bons destinos. Grande abraço a todos.

Texto by Ricardo Seripierro

Imagens by Google

Acompanhe outras dicas e informações em nosso canal no facebook. Curta #viveajantes. Veja nossa galeria de fotos no Flickr, inscreva-se em nosso novo canal de vídeos no Youtube. Entre em contato, mande suas críticas, sugestões, contribuições via e-mail: viveajantes@bol.com.br  . E não perca nossas postagens. Novo conteúdo todas as semanas.

O que você achou dessa postagem?
  • As dicas são fantásticas (0)
  • Incrível (0)
  • Deu muita vontade de viajar (0)
  • Sensacional (0)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *